sexta-feira, 12 de maio de 2017

O carrossel europeu*

* Hoje no Jornal do Centro




1. Nas presidenciais francesas, o voto europeísta passou dos 18,2 milhões na primeira volta para os 20,8 milhões de votos da segunda volta que elegeram o presidente Emmanuel Macron; já os 16,4 milhões de votos anti-europeus da primeira volta mingaram para 10,6 milhões. De nada valeu a Marine Le Pen a ajuda de Jean-Luc Mélenchon que foi incapaz de apelar ao voto em Macron.

Por cá, o nosso bloco de esquerda, apoiante de Mélenchon, andou a chafurdar num “nem-nem” absurdo, como se fosse a mesma coisa a França eleger Macron ou uma xenófoba como Le Pen.

Depois do Brexit, a “Europa” tem conseguido resistir ao populismo. Resistiu em Espanha, três dias depois do referendo britânico, ao retirar um milhão de votos ao Podemos, resistiu na Áustria, na Holanda, agora na França, e vai resistir na Alemanha.

O social-democrata Martin Schulz está a perder gás, como se viu no domingo passado em Schleswig-Holstein, mas, quer venha a ser ele o novo chanceler ou Angela Merkel consiga o seu quarto mandato, nada de fundamental mudará na política do maior país da União Europeia.

É claro que a UE é um carrossel sempre em sobressalto: na Itália, o eurofóbico Movimento 5 Estrelas está à frente nas sondagens e quer eleições antecipadas. Como lembrou Andrea Rizzi numa extraordinária análise à eleição de Macron publicada no El País, não é a visível recuperação económica na “Europa” que parará a “Medusa” populista — se fosse assim, o pleno emprego e o crescimento obtido por Obama tinham eleito Hillary e não Donald Trump.

Trump e Putin puseram as suas fichas em Marine Le Pen (Putin meteu dinheiro também) e perderam. Vão perder mais vezes.

2. A ideia de candidatar António Carlos Figueiredo em S. Pedro do Sul é para o PSD mostrar solidariedade com o PS que, em Tabuaço, leva a votos João Ribeiro também a contas com a justiça?

3. E se, depois de tudo o que aconteceu, Oeiras elege de novo Isaltino Morais?

1 comentário:

  1. Jean-Luc Mérluchon - o que, como é hábito, não atrasa nem adianta; o resto são personagens manhosas de um filme do Tarantino?
    Nestes dias, tenho pena é dos que pagaram fortunas para dormirem ao relento, num saco-cama e do Miguel Sousa Tavares, em pânico, com a nova Lei da Caça sugerida por PAN e Bloco de Esquerda.
    Ashes to ashes, dust to dust!

    Sr Gato,o que verdadeiramente me preocupa é a falta de tempo para as coisas que gosto, como:

    Hector Zazou w/David Sylvian – “a victim of stars”
    https://youtu.be/nka2JRGfnPQ

    ResponderEliminar